Telhados verdes e soluções ecológicas


18 de junho de 2009
Telhas

Hoje uma série de soluções ecológicas estão sendo usadas em grandes centros urbanos para diminuir a temperatura ambiente, redução de escoamento das águas pluviais, o que evita o transbortamento nas redes de esgoto. Estas soluções atuam até mesmo na acústica, diminuíndo o ruído das grandes cidades.

Países como a Alemanha, Suiça e Áustria já tornaram o recurso obrigatório sempre que o telhato possuir uma inclinação favorável. A idéia não é nova, mas só recentemente é que se tornou tecnicamente viável e de custo acessível. Já é amplamente utilizado no exterior. O cultivo de plantas nos telhados, além do efeito estético em residências e em edifíceis urbanos, serve de filtro natural purificando o ar que respiramos.

A alternativa do teto verde já pode ser encontrada em Florianópolis através da Casa da Telha.

Confira um trecho da matéria da National Geographic sobre os telhados verdes.

Os telhados vivos são um lembrete da força exercida pelos sistemas biológicos. No verão, as temperaturas diurnas nos telhados com cobertura asfáltica podem ser muito altas, acima de 65ºC, o que acentua o efeito geral das “ilhas de calor” urbanas – a tendência de as cidades serem mais quentes que as regiões circundantes. Já os telhados com cobertura vegetal atuam como isoladores térmicos, e as temperaturas sofrem apenas pequenas oscilações, reduzindo em até 20% o custo de aquecer e resfriar os edifícios abaixo deles. “Se pintarmos de branco, algo bem mais simples que um jardim suspenso, os telhados das 100 maiores cidades do mundo, a temperatura global deve baixar 1 grau. Isso equivale a tirar 600 milhões de carros das ruas por 18 anos”, diz Thassanee Wanick, do movimento ambientalista brasileiro intitulado Um Grau a Menos.

Quando a chuva cai em um telhado normal, ela escorre dessas encostas urbanas e inunda os desfiladeiros artificiais que são as ruas – e, no caminho, toda essa água não é absorvida, deslocando-se quase sempre de maneira descontrolada. Um telhado verde, por outro lado, absorve e filtra a água, arrefece seu ímpeto e até mesmo armazena parte dela para uso posterior. Em consequência, ele ajuda a reduzir o transbordamento de esgotos, aumenta a vida útil dos sistemas de escoamento e devolve uma água mais limpa para a bacia hídrica circundante.


Dúvidas?

Deixe sua pergunta ou comentário!


Comentário(s) fechado.